Criado em 2001, o CURTA-SE foi concebido inicialmente como um pequeno festival de curtas-metragens voltado para o público universitário. Em sua primeira edição, realizada na Universidade Federal de Sergipe e quase que inteiramente organizada e produzida por sua criadora, Rosângela Rocha – ex-professora de Educação Física apaixonada por cinema – o então chamado Festival Brasileiro de Curtas-Metragens contou com cerca de 50 filmes inscritos, dos quais 14 sergipanos.

A partir da primeira experiência, o CURTA-SE amadurece de forma rápida e surpreendente, consolidando-se como um dos mais importantes eventos do calendário nacional de festivais de cinema. Já na segunda edição o CURTA-SE vira o Festival Luso-Brasileiro de Curtas-Metragens de Sergipe e passa a estender sua programação além-mar, até cinematografia portuguesa.

É também a partir de 2002 que o Festival acrescenta às mostras de curtas a participação de longas-metragens convidados e uma extensa programação de seminários, workshops e eventos culturais. O ano de 2002 foi de fato o período de consolidação do CURTA-SE como o grande evento do cinema em Sergipe: o CURTA-SE II contou com a participação de mais de 5 mil pessoas, que tiveram acesso aos 144 filmes inscritos naquele ano numa programação distribuída por salas de cinema, espaços públicos e centros culturais.

O festival consolidou-se também junto à sociedade civil organizada e o poder público com a construção de parcerias firmados com instituições de ensino, distribuidoras, ONGs, empresas do setor cinematográfico, consulados, televisões abertas e por assinatura, Fórum dos Festivais e governos locais. Em 2003 o CURTA-SE passou a contar com o patrocínio da Petrobras.

Aliada ao apoio da Lei Rouanet, esta parceria trouxe ao Festival um crescimento importante em termos de estrutura, o que permitiu incrementar e diversificar ainda mais a programação oferecida ao público. Atento a um de seus maiores objetivos, o de buscar aliar tecnologia à responsabilidade social, o CURTA-SE também tornou-se em 2003 parceiro do programa Fome Zero, com a arrecadação de cerca de 1 tonelada de alimentos em troca de ingressos para assistir os longas convidados.

Foi de olho na democratização do cinema no Brasil que o CURTA-SE optou por realizar sua 4a edição num dos bairros mais antigos e populares de Aracaju: o bairro Industrial. Em sintonia com as necessidades da população menos favorecida, o Festival exibiu curtas e longas-metragens numa enorme tenda montada em plena orla construída pela Prefeitura de Aracaju e proporcionou o acesso a filmes de qualidade para milhares de pessoas que por razões diversas não podem freqüentar as grandes salas de cinema.

O CURTA-SE 5 foi mais uma vez um grande exemplo de inovação. Além de acontecer em Aracaju, o evento inseriu-se na programação alusiva aos 150 anos do municípioe foi levado às ruas da 4a cidade mais antiga do Brasil e primeira capital de Sergipe, São Cristóvão. A mostra Cine BR em Movimento e as apresentações de grupos folclóricos deram a cara do Festival na cidade. Novas parcerias foram firmadas para as premiações, o que permitiu a ampliação do número de inscritos e de categorias vencedoras do evento.

Como não poderia deixar de ser, o CURTA-SE 6 trouxe ainda mais novidades e crescimento. Uma mostra competitiva Curta os Sergipanos foi realizada em São Cristóvão. A premiação oferecida ao melhor curta sergipano pela Cinerama Brasilis (cinco diárias de câmeras 16mm equivalentes a R$ 8 mil) foi a primeira em 25 anos. Milhares de pessoas participaram mais uma vez do festival e garantiram o sucesso da edição.

O projeto do CURTA-SE 7, foi ainda maior e melhor. O evento ocorreu no período de 28 de abril a 06 de maio de 2007, compreendendo as cidades de Aracaju, Estância e São Cristóvão. Neste ano o Curta-Se comprovou a credibilidade de um festival de sucesso atestado pelo público, crítica especializada, mídias local e nacional, bem como por sua qualidade na programação. O festival contou com um público de 5 mil pessoas entre entudantes secundaristas, universitários e comunidade em geral.

Veja os curtas premiados até hoje:

CURTA-SE 2

A Canga - Marcus Villar - PB
Melhor Filme 35mm

Um Sol alaranjado - RJ
Melhor Filme 16mm

O Corredor - Carolina Menezes - SC
Melhor Vídeo

Arlequim - Rogério Souza - Ribeirão Preto (SP)
2o lugar Vídeo

Horizonte Vertical - Lula Oliveira - BA
3o Lugar Vídeo

CURTA-SE 3

Na lona – Stefan Hess
Melhor Vídeo

We Belong - Sergio Sá Leitão
2o Lugar Vídeo

O Ciclone Lento e Sutil - Cristiano Trindade
3o Lugar Vídeo

Verdade ou Conseqüência – Aleques Eiterer
Melhor 16mm

Rua da Escadinha 162 – Márcio Câmara
Melhor 35mm

Em busca do tempo perdido – Tarcísio Duarte
Melhor Vídeo Sergipano

Céu de Iracema - Iziane Mascarenhas
Menção Honrosa

Coruja - Simplício Neto
Menção Honrosa

A Janela Aberta - Phillipe Barcinski
Menção Honrosa

O Lobisomem e o Coronel - Elvis K. Figueiredo e Ítalo Cajueiro
Preferido do Público

CURTA-SE 4

Cinema Pagador – Izabel Ribeiro e Henrique Pires – SP
Melhor 16mm

Curta-metragem metalingüístico, ou aceita mais café? - Byron O’Neal - MG
Prêmio BNB de Cinema

Suicídio Cidadão – Iberê Carvalho – DF
Melhor 16mm Júri Popular

Carolina – Jéferson De – SP
Melhor Documentário em 35mm

Engolervilha – Marcelo Marão
Melhor Animação em 35mm

Transubstancial – Torquato Joel – PB
Melhor Ficção em 35mm

Tempo de Ira - Gisela de Mello e Marcélia Cartaxo – RJ
Prêmio Especial do Júri 35mm

Onde Quer Que Você Esteja – Bel Bechara e Sandro Serpa – MG
Menção Honrosa 35mm

Ruídos da Fé – Ângelo Lima – GO
Melhor Documentário em Vídeo

O 3° Tomate – Cláudio Roberto – RJ
Melhor Animação em Vídeo

O Poder e a Fé – Beto Schults e Thiago Luciano
Melhor Ficção em Vídeo

Elipse – Gabriela Caldas – SE
Menção Honrosa em Vídeo

Senninha em Dia de Mudança – Mário Matoso Neto – SP
Menção Especial em Vídeo

Cana Amarga – Paula Fabiana Silva – RJ
Prêmio BNB de Cinema

Gerações Rendeiras – Anderson Lino – CE
Melhor Vídeo Júri Popular

A Cadeira, os Créditos e o Específico Fílmico - Anderson Bruno – SE
Melhor Vídeo Sergipano Júri Popular

CURTA-SE 5

A Morrer - de Gabriela Caldas – SE
Melhor Vídeo Júri Popular e Melhor Vídeo Sergipano Júri Popular – Prêmio Quanta-SP

Papo De Botequim - Alan Ribeiro - RJ
Melhor Documentário Vídeo Júri Oficial

Desirella - Carlos Eduardo Nogueira – SP
Melhor Animação Vídeo Júri Oficial

A Corrente - Marcelo Toledo – SP
Melhor Ficção Vídeo Júri Oficial

Concerto Número Um Para Orquestra E Celular - Fausto Júnior, BA
Menção Honrosa Vídeo Júri Oficial Dona Carmela
Menção Especial Vídeo Júri Oficial pela atuação de Orlando Vieira

Quando Jorge Foi À Guerra - Tadao Miaqui – PR
Melhor Filme 16mm Júri Popular

Noite De Sol - Marcela Arantes – SP
Melhor Filme 16mm Júri Oficial e Prêmio Labocine

A Moça Que Dançou Depois De Morta - Ítalo Cajueiro – DF
Melhor Filme 35mm Júri Popular
Melhor Animação 35mm Júri Oficial
Melhor Filme 35mm com Temática Nordestina
Prêmio BNB de Cinema

Bala Perdida - Víctor Lopes - RJ
Melhor Ficção 35mm Júri Oficial
Prêmio Labocine

Hoje Tem Felicidade - Lisiane Cohen – RS
Melhor Ficção 35mm Júri Oficial
Prêmio Labocine

A Hora Do Galo - Marcos França - RJ
Menção Honrosa 35mm Júri Oficial

Zen Ou Não Zen, Eis A Questão - Alunos da R. Munic. Ensino de Vitória – ES
Menção Honrosa 35mm Júri Oficial

Messalina - Cristiane Oliveira - RS
Prêmio Especial Júri 35mm
Prêmio TeleImage

CURTA-SE 6

Foi Onde Deu Pra Chegar De Bicicleta – Frederico Pinto – RS
Melhor Ficção Vídeo

Z.inema – Carol Thomé – SP
Melhor Documentário Vídeo

Minhocas – Paolo Conti - SP
Melhor Animação Vídeo
Melhor Vídeo – Júri Popular

Uma comédia infeliz – Artur Serra Araújo - Portugal
Melhor Vídeo Júri Oficial

Dekassegui – Roberto Maxwell - Nipo-Brasileiro
Menção Honrosa

Caçadores de Saci – Sofia Figueiredo – BA
Menção Especial

Poesias Capilares – Andrezza Poconé – SE
Melhor Vídeo Sergipano – Júri Oficial

Quebra-Cabeça – Marcelo Roque – SE
Melhor Vídeo Sergipano – Júri Popular

As desventuras de Claustro – Bruno O. Barros - SE
Menção Honrosa Vídeo Sergipano

Quando um burro fala – Aurélio Aragão e Roberto Robalinho - RJ
Menção Honrosa Vídeo

Oiticica – José Geraldo – DF
Menção Honrosa Vídeo

Concerto No 3 – Marco Dutra - São Paulo
Melhor 16 mm – Júri Oficial

Cólera – Leandro Davico – RJ
Melhor 16mm – Júri Popular

Peixe Frito – Ricardo George de Podesta Martin – GO
Prêmio Especial do Júri 35mm

Nascente – Helvécio Marins – MG
Prêmio Especial do Júri 35mm

O Maior Espetáculo da Terra – Marcos Pimentel – MG
Menção Honrosa 35mm

O Amor do Palhaço – Armando Praça – CE
Melhor Ficção 35mm

Viva Volta – Heloisa Passos - PR
Melhor Documentário 35mm

O Meio do Mundo - Marcus Vilar – PB
Prêmio BNB de Cinema

Rap, O Canto da Ceilândia - Ardiley Queiroz de Andrade – DF
Grande Prêmio Curta-SE 2006 35mm

Início do Fim - Gustavo Spolidoro - RS
Grande Prêmio Curta-SE 2006 35mm

Descobrindo Waltel - Alessandro Gamo – SP
Melhor 35mm – Júri Popular     

CURTA-SE 7

Vida Maria, de Márcio Ramos – CE
Melhor Curta Metragem 35mm

No Principio Era o Verbo, de Virginia Jorge – ES
Melhor Curta 35mm  – Júri

Uma Vida e Outra, de Daniel Aragão –PE
Prêmio Especial do Júri

Joyce, de Caroline Leone – SP
Melhor Curta Ficção

O Homem Livro, de Ana Luiza Azevedo – RJ
Melhor Curta de Documentário

Vida Maria, de Márcio Ramos – CE
Melhor Curta de Animação

Yansan, de Carlos Eduardo Nogueira – SP
Menção Honrosa

Trecho, de  Clarissa Campolina e Helvécio Martins – MG
Menção Honrosa

Noite de Sexta Manhã de Sábado, de Kleber Mendonça Filho –PE
Menção Honrosa

Epiphanie, de Gabriela Caldas – SE
Melhor Curta Sergipano (1º  lugar)

Estamos na Mussuca, de Lívia Lessa – SE
Melhor Curta Sergipano (2º lugar)

Viramundos, de Sérgio Borges – SE
Melhor Curta Sergipano (3º  lugar)

Mauro Shampoo, jogador, cabeleleiro e homem, de Paulo Henrique – RJ
Melhor Vídeo

Hotel do coração Partido, de Raone Assis – PE
Melhor Animação

Meus Amigos Chineses, de  Sergio Sbragia – RJ
Melhor Ficção

Maria Dushenes – O Espaço do Movimento, de Sérgio Roizembit – SP
Menção Honrosa Documentário

Nanquim, de Maurício Copetti – MS
Menção Honrosa Experimental
 

CURTA-SE 8

El baño del papa, de  Cesar Charlone e Enrique Fernandez- Uruguai/Brasil/França
Melhor Longa – Júri Popular

Dedina Bernadelli, do longa Adagio Sostenuto – RJ
Melhor Atriz – Júri Popular

César Trancosa, do longa  El baño del papa – Uruguai/Brasil/França
Melhor Ator - Júri Popular

El baño del papa, de  Cesar Charlone e Enrique Fernandez – Uruguai/Brasil/França
Melhor direção – Júri Popular

Cine Zé Sozinho, de Adriano Lima – CE
Melhor Curta 35mm – Júri Oficial

Engano, de Cavi Borges – RJ
Melhor Ficção 35mm  – Júri Oficial

Pajerama, de Leonardo Cadaval – SP
Melhor Animação 35mm

Dreznica, de Anna Azevedo – RJ
Melhor Documentário 35mm - Júri Oficial

Ele, de alunos de Escolas Municipais de Vitória – ES
Menção Honrosa 35 mm - Júri Oficial

O evangelho segundo seu João, de Leonardo Gomes – ES
Menção Especial 35 mm - Júri Oficial

O lobinho nunca mente, de Ian SBF – RJ
Melhor 35 mm - Júri Popular

Vandré Silveira, do Curta Bárbara – MG
Melhor Ator  -35 mm - Júri Popular

Micaela Rocha, do Curta A Peste da Janice – RS
Melhor atriz – 35 mm - Júri Popular

Rua das tulipas, de Alê Camargo – DF
Melhor Vídeo - Júri Oficial

Unconscious, de Ricardo Nunes – SE
Melhor Vídeo - Júri popular

Chimbumbe, de Antônio Coelho – México
Menção Honrosa Vídeo - Júri Oficial

Rua das Tulipas, de Alê Carmago – DF
Melhor Vídeo Animação - Júri Oficial

Vida de balcão, de Luciano Coelho – PR
Melhor Vídeo Documentário - Júri oficial

Um pra um, de Érico Rassi – SP
Melhor Vídeo  Ficção - Júri oficial

Um tango para derrubar o poder, de Wille Marcel – SE
Melhor Vídeo de Bolso – Júri popular

Deu bode, de Fátima Góes – SE
Melhor Vídeo Sergipano (1º lugar)  – Júri Oficial

As aventuras de seu Euclides Parafusos, de Marcelo Roque – SE
Melhor Vídeo Sergipano (2º lugar)  – Júri Oficial

Você conhece la conga?, de Sérgio Borges – SE
Melhor Vídeo Sergipano (3º lugar)  – Júri Oficial

Verdadeira imagem, de Karla Dias – SE
Melhor Vídeo Sergipano  – Júri Popular

CURTA-SE 9

Calango Lengo - Morte e Vida Sem ver água, de Fernando Miller - SP
Melhor Filme de Animação - Júri Oficial

Os Filmes Não Fiz, Gilberto Scarpa - MG
Melhor Ficção - Júri Oficial

A saga das Candango Invisíveis, de Denise Caputo - DF
Melhor Documentário - Júri Oficial

Vitalino e Nós do Barro, Produzir alunos da Rede municipal de Vitória - ES
Melhor 35 mm - Júri Oficial

Rê Bordosa Dossi, Cesar Cabral- SP
Melhor Curta-Metragem - Júri Popular

Wagner Moura -, de "Blackout" - SP
Melhor Ator

Ana Carolina Lima, de "Espalhadas cabelo ar" - SP
Melhor Atriz

Daniel Rezende, de "Blackout" - SP
Melhor Diretor

Gilberto Scarpa, "não Fiz filmes Os" - MG
Menção Honrosa - Melhor Diretor

Rê Bordosa Dossi, Cabral - SP Cesar
Menção Honrosa Melhor Curta-Metragem

Cinderela, Lobos e Um Príncipe Encantado, de Joel Zito Araújo - RJ
Júri Popular Melhor Filme

Joel Zito Araújo, do longa Cinderela, Lobos e Um Príncipe Encantado - RJ
Melhor Diretor - Júri Popular

Cauã Reymond, em "O Nada Mais Der Certo" - SP
Melhor Ator - Júri Popular

Caroline Abras, de "Mais Der Certo Nada It" - SP
Melhor Atriz - Júri Popular

A Pensão, Marcelo Presotto - SP
Melhor Vídeo Ficção - Júri Oficial

De ovos e guarda-Chuva, Alexandre Bersot - RJ
Melhor Vídeo de Animação - Júri Oficial

Uma Luz Vermelha Bandido faz, George Pedro - SP
Melhor Vídeo Documentário - Júri Oficial

Várias vidas de Joana, de Cavi Borges - RJ
Menção honrosa Vídeo - Júri Oficial

De Volta ao Quarto 666, de Gustavo Spolidoro - RS
Melhor Vídeo - Júri Popular

Sexo Não É brincadeira, Luciana Kamel - RJ
Melhor Vídeo de Bolso - Júri Popular

Frio, Gabriela Caldas - SE
Melhor Vídeo Sergipano (1 º lugar) - Júri Oficial

S Arquivos de Ivan, Fábio Rogério - SE
Melhor Vídeo Sergipe (2 º lugar) - Júri Oficial

U-507, de Rubens Carvalho – SE
Melhor Vídeo Sergipe (3 º lugar) - Júri Oficial




Secretaria da Cidadania Cultural
       Ministério da Cultura.

 

Rua Teixeira de Freitas, 175, Bairro Salgado Filho

Aracaju-SE CEP: 49020-530 Tel.: (79) 3302-7092 / 3041-8563